Documento sem título
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Notícias e Dicas de Saúde
     
Notícia - Como a alimentação influencia os sintomas da dengue Como a alimentação influencia os sintomas da dengue

A dengue é doença viral, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. O rápido avanço de casos, inclusive em 2020, a torna uma das maiores preocupações do brasileiro.

Isso porque, apesar de não poder ser transmitida de pessoa a pessoa, alguém infectado pode passar o vírus para o mosquito, que, por sua vez, pode picar alguém e transmiti-lo novamente.

Os sintomas, que vão desde mal estar até dor nos olhos, podem ser atenuados ou intensificados dependendo de qual for sua alimentação.

Alimentação para dengue
Segundo a infectologista Dania Abdel Rahman, do Hospital Albert Sabin (SP), os alimentos não influenciam em nada quanto à evolução da doença. Não há estudos científicos que comprovem sua atuação na piora. Entretanto, a infectologista da clínica Terça da Serra, Priscila de Marco da Silveira Frazão, orienta que é importante evitar:

- Fritura;
- Refrigerante;
- Comida industrializada.

Quanto ao que é indicado comer, existem várias receitas caseiras muito famosas para melhorar os sintomas. Alguns alimentos podem influenciar na recuperação dos pacientes pelo seu valor nutricional e não porque agem especificamente no vírus causador da dengue. São exemplos:

- Inhame;
- Cenoura;
- Ovo;
- Carnes magras;
- Melancia;
- Melão.

Vale também ressaltar que a hidratação correta é a chave para a melhora de quem está com a doença de forma mais rápida e eficaz. Com ela, o organismo pode fazer as ações metabólicas corretamente reduzindo a resposta inflamatória e as injúrias causada pela doença mais rapidamente.

Sintomas da dengue
Os sinais podem ser leves ou até imperceptíveis, explica a infectologista Dania, daí a necessidade de ficar sempre atento. Os principais sintomas da dengue são:

- Febre alta (38.5º C de 2 a 7 dias);
- Dores musculares intensas;
- Dor ao movimentar os olhos;
- Mal estar;
- Falta de apetite;
- Dor de cabeça;
- Manchas vermelhas no corpo;
- Náuseas e vômito;
- Dor abdominal;
- Sangramentos de mucosas;
- Prurido (lesões na pele que coçam), dentre outros.

Além disso, pode haver queda de plaquetas e desidratação, sendo necessária a avaliação médica.

Como tratar?
Dentre as formas de tratamento, estão:

- Fazer repouso;

- Ingerir bastante líquido (água, pelo menos 60 mL/kg/dia ? em média 3 litros);

- Não tomar medicamentos por conta própria, pois alguns podem ser prejudiciais como aspirinas e antiinflamatórios (não recomendados porque podem pior hemorragias).

"Também é fundamental o combate do mosquito da dengue, fazendo limpeza adequada e não deixando água parada em pneus, vasos de plantas, garrafas ou outros recipientes que possam servir de reprodução do mosquito", lembra a infectologista Priscila.

Fonte: Minha Vida


 
 
Leia também
02
abril
5 alimentos que vão fazer com que engorde na quarentena

02
abril
Como diferenciar o coronavírus de alergias respiratórias

02
abril
Alimentos não higienizados podem transmitir coronavírus?

19
março
Coronavírus: quem corre mais riscos?

 
Documento sem título
 
 
 
Telefone:
(19) 3234-2387
(19) 2121-1230
 
 
WhatsApp:
(19) 98211-6347
 
 
Endereço:
Rua Barata Ribeiro, 504
Vila Itapura - Campinas - SP
 
 
Nossos Horários:
Seg à sex: 8h às 18h
Sábados: 8h às 12h
 
Razão Social: Margonari e Cia LTDA | CNPJ: 10.739.335/0001-80 | Farmacêutica Responsável: Isabella C.S. Augusto Margonari | CRF: 35892
AFE nº 0.642128.3 | Certidão de Regularidade: CFF: 53770 | Licença VISA Campinas nº 350950225-477-000285-1-7
Copyright © 2012 - Todos os direitos reservados
Produzido por FrameSet